ROG Phone II: um celular robusto para rodar qualquer jogo

Os jogos para celulares estão ficando cada vez mais avançados e parecidos com o que vemos em nossos PCs com os seus gráficos incríveis e boa jogabilidade. O lado positivo disso, é claro, são bons títulos que chegam até nós, enquanto o negativo fica pela exigência de um aparelho cada vez mais potente para dar conta de rodá-los sem travamentos.

Junto com o lançamento do Zenfone 6, a ASUS também trouxe para o Brasil o seu smartphone gamer, o ROG Phone II, que é claro, traz uma configuração robusta para dar conta dos jogos atuais. O Olhar Digital recebeu este aparelho e jogou bastante nele para contar como foi a experiência, os seus pontos positivos e negativos. Confira!

Design e tela

Para mostrar que o ROG Phone II não é um aparelho convencional, a ASUS decidiu inovar bastante em seu visual. Assim, o celular tem um acabamento de plástico para a sua parte traseira, mas que traz algumas linhas futuristas e também um espaço dedicado para uma saída de ar.

Reprodução

Ainda na parte traseira, também estão as câmeras principais do aparelho posicionadas de forma vertical. Algo positivo aqui é o fato delas estarem bem rentes ao corpo do smartphone, o que não o deixa levantado quando colocado em uma superfície e dificulta causar qualquer dano a elas.

Já as laterais do aparelho também possuem alguns segredos. Elas até podem parecer normais ao serem vistas de longe, mas assim como vídeogames portáteis, o ROG Phone II traz gatilhos, como os clássicos L1 e R1, que podem ser utilizados e mapeados como botões em jogos, algo muito útil para games de tiros, por exemplo.

Reprodução

Por conta dos detalhes mencionados na parte de trás do celular, a ASUS incluiu em seu conjunto uma capinha, que também não é tão convencional. Ela serve, é claro, para manter o celular protegido, mas não cobre toda a sua traseira por conta do sistema de ventilação. No fim das contas, a impressão de que se tem aqui, é que o celular não fica muito seguro.

O ROG Phone II é um aparelho consideravelmente grande e traz uma tela OLED de 6,59 polegadas com a resolução de 2340×1080 pixels, que conta com a proteção do Gorilla Glass 6 contra trincos e arranhões. Além disso, também é nela que está o leitor de impressões digitais do aparelho.

No geral, esse display consegue apresentar cores bem vivas, mas assim como foi visto no Zenfone 6, o seu nível de brilho não é dos mais altos. Entretanto, algo que impressiona e diferencia essa tela é a sua taxa de atualização de 120 hertz enquanto o tempo de resposta para os comandos é de 240 hertz.

Reprodução

Esses números não vão fazer qualquer mudança enquanto você usa o celular para uma tarefa comum como navegar na internet ou responder alguém no WhatsApp. Mas, na hora de jogar ou de ver vídeos, você notará que eles rodarão de forma mais fluída e que os comandos dados aos games acontecerão de forma imediata sem qualquer atraso.

Já o peso do aparelho é algo um pouco controverso. O ROG Phone II possui 240 gramas, o que lhe deixa um tanto pesado, mas é algo compreensível devido a sua configuração, sobre a qual falaremos mais adiante. Apesar desse peso, o celular ainda continua proporcionando uma boa pegada, não sendo desconfortável utilizá-lo, mesmo que seja por muito tempo.

Por fim, em relação aos detalhes no corpo, o ROG Phone II ainda traz uma entrada P2 para fones de ouvidas, uma porta USB C e outra entrada para alimentar e encaixar a sua peça refrigeradora, que quando encaixada, adiciona uma ventoinha a mais no aparelho e o mantém com uma temperatura menor. Quando ela é utilizada, entretanto, a pegada do celular acaba sendo um pouco prejudicada.

Reprodução

Especificações técnicas e performance

Um dos maiores diferenciais do ROG Phone II fica por conta de sua configuração, que é bem acima dos padrões atuais. Primeiro, veja a sua ficha técnica:

  • Processador Snapdragon 855+;
  • GPU Adreno 640;
  • 128, 256 ou 512 GB de espaço para armazenamento;
  • 8 ou 12 GB de memória RAM;
  • Bateria de 6.000 mAh.

O processador utilizado no ROG Phone II é um dos mais potentes de 2019, que é uma versão um pouco superior do Snapdragon 855, utilizado na maioria dos aparelhos topo de linha do ano. Assim, colocando-o junto com uma quantidade generosa de memória RAM, o aparelho não apresenta lentidão para nenhuma tarefa.

O Olhar Digital testou a versão com 12 GB de memória RAM do celular e ele já impressiona por sua velocidade de boot, que não leva mais de alguns segundos para já estar no Android. Os aplicativos também rodam sem lentidões, mas ainda não é neles que a diferença de performance fica clara.

Os jogos executados no ROG Phone II rodam com bastante fluidez e sempre apresentam uma alta taxa de quadros por segundo, mesmo quando as configurações de seus gráficos ficam definidas para o máximo. Como não poderia ser diferente, nós fizemos os testes com diversos jogos, sendo o Call of Duty Mobile.

Reprodução

Nesse título mencionado acima, ao comparar o seu desempenho em outros aparelhos topo de linha, nós notamos comandos mais responsivos e o jogo parecia rodar um tanto mais rápido, quando utilizada a frequência de 120Hz. Outro ponto que nos impressionou também foi o som do jogo, que graças a tecnologia DTS:X e aos dois falantes estéreos foi possível escutar alguns efeitos, que antes só eram notados com o uso de fone de ouvido.

Para mais testes, nós também rodamos outros jogos como o Asphalt 9, Mobile Legends, Fortnite e outros títulos. Todos eles rodaram bem, apesar do Mobile Legends não ser pesado, mas apenas exigir reflexos rápidos e consequentemente, um tempo de resposta melhor dos comandos. No caso específico do Fortnite, infelizmente, o ROG Phone II não desbloqueia a opção para jogá-lo a 60 quadros por segundo, mas o desempenho nele é excelente com tudo no máximo sem apresentar qualquer lentidão.

O último teste de fogo para jogos foi com o uso de emuladores mais recentes para Android de alguns videogames. Assim, o escolhido da vez foi o Dolphin para emular jogos do Game Cube, que se saiu bem na tarefa trazendo uma experiência fluída.

Em relação a bateria, os 6.000 mAh a princípio impressionam, mas é necessário fazer algumas ressalvas. Caso você use o ROG Phone II com a frequência da tela em 60Hz, o aparelho tem uma autonomia de quase dois dias de uso. Já ao alternar a frequência para 90 ou 120 hertz, essa autonomia diminui para um dia de uso comum, ou seja, é possível usá-lo por aproximadamente 12 horas ou um pouco mais.

Assim, no quesito performance, o ROG Phone II não decepciona e entrega o que um celular gamer promete rodando tudo no máximo. É claro, que outros aparelhos topo de linha também conseguem rodar esses jogos sem maiores problemas, talvez com uma exceção feita ao emulador Dolphin e, aqui, o diferencial mesmo fica na tela, que consegue entregar uma sensação de fluidez.

Câmera e fotos

Como é possível notar, o foco do ROG Phone II não é para fotos, mas ainda assim o aparelho consegue sair bem nessa tarefa. O celular conta para isso com duas câmeras traseiras, sendo uma wide de 48 megapixels com abertura f/1.8 e outra ultrawide de 13 megapixels e abertura f/2.4.

Devido a não ter uma abertura tão boa, o ROG Phone II acaba se saindo bem para fotos tiradas em ambientes, que tenham uma boa iluminação. Diferente do que foi visto no Zenfone 6, aqui as fotos capturadas mantêm as cores bem fiéis e o nível de detalhes é relativamente alto. Confira algumas fotos capturadas com o aparelho:

Reprodução

Foto em ambiente fechado

Reprodução

Foto em ambiente aberto

Em relação aos modos, o ROG Phone II não inventa e traz apenas o básico em seu conjunto como o modo retrato, panorâmico e o noturno. Já para selfies, diferente do que é visto nas câmeras traseiras, o aparelho acaba saturando algumas cores e se perde um pouco no modo retrato, fazendo com que alguns elementos não fiquem focados corretamente.

 

Reprodução

Selfie

Reprodução

Selfie com modo retrato

Já no quesito de vídeos, o celular gamer da ASUS traz a opção de fazer gravações na resolução 4K a 60 quadros por segundo, mas traz apenas o modo de câmera lenta como um recurso extra. Felizmente, o resultado final das capturas acaba sendo bom com o mesmo nível de detalhes e cores que é visto nas fotos.

Recursos exclusivos e sistema

Para poder usar melhor toda a sua configuração, é claro, o ROG Phone II também conta com algumas mudanças no seu sistema. Por padrão, o aparelho vem com o Android 9 Pie instalado e logo ao ser iniciado, já lhe pergunta se você quer utilizar a sua interface clássica ou a da ZenUI, que se assemelha mais a um Android comum.

Quando o aparelho não é utilizado para jogos, entretanto, você tem uma experiência praticamente normal do Android, já que a ASUS aqui optou por não implementar muitos recursos extras. Aliás, um ponto positivo visto aqui é que foi diminuído o número de apps pré-instalados, que não da prórpria marca. Assim, restaram esses:

  • Facebook;
  • Netflix;
  • Instagram;
  • Asphalt 9.

Já o grande recurso do aparelho, esse sim voltado para jogos, se trata do Armory Crate. Através desse aplicativo, você consegue verificar a temperatura do seu celular, iniciar jogos, definir a intensidade da peça de refrigeração e outros itens relacionados aos jogos.

Além do Armory Crate, o ROG Phone II também possui um menu dedicado, que pode ser aberto enquanto um jogo está em execução. Através dele, você consegue monitorar a temperatura do celular, mapear os seus gatilhos como botões e adicionar macros, que podem ser utilizados para facilitar ações específicas dentro de jogos.

Algo a ser notado na hora de rodar jogos, entretanto, é que o ROG Phone II esquenta um pouco enquanto a sua base refrigeradora não é utilizada, mesmo tendo um sistema de ventilação próprio em seu corpo. Felizmente, é claro, ao usar a base refrigeradora que é acoplada em seu corpo esse problema diminui bastante, mas a pegada do celular fica um pouco prejudicada.

Mais um item que merece a atenção são os acessórios extras do ROG Phone II, que incluem um dock para conectá-lo a um monitor ou TV com suporte à resolução 4K, um joystick acoplável e um módulo que adiciona uma segunda tela, que é útil para alguns jogos mostrarem informações extras. Infelizmente, como você deve ter notado, no conjunto padrão do ROG Phone II só vem a sua base refrigeradora.

Preço e disponibilidade

O ASUS ROG Phone II foi lançado no Brasil no dia 21 de outubro de 2019. Ele pode ser adquirido no site oficial da ASUS com preços que variam de R$4.500,00 até R$7.300 dependo do modelo e forma de pagamento selecionada.

Conclusão

O ASUS ROG Phone II é um dos poucos smartphones gamers, que marcam a presença no Brasil. Como era de se esperar, a sua performance é realmente um pouco acima da média, fazendo a diferença principal na hora de jogar devido a fluidez com que tudo ocorre, desde a taxa de quadros de jogos até o tempo de resposta dos comandos.

A câmera dele, por sua vez, não faz nada surpreendente, mas cumpre bem o seu papel e pode ser utilizada sem maiores problemas. A única coisa que realmente faz falta nela são as opções de modos, que acabam sendo bem escassas.

Comparado com aparelhos topo de linha, o ROG Phone II sem os seus acessórios extras talvez não faça tanto a diferença, mas sem dúvida, é um dos aparelhos mais potentes do ano e é indicado para quem busca jogar de forma competitiva em games mobile.

You may also like...