A briga entre Google e Amazon ficou ainda mais grave

A Amazon e o Google continuam se estranhando — e quem perde é o consumidor. Em setembro, o YouTube deixou de funcionar no Echo Show, alto-falante inteligente da Amazon. Hoje, o Google anunciou que nem a versão web poderá mais ser acessada a partir do Amazon Echo e nem do Fire TV ou Fire TV Stick.

Amazon Echo Show

Há pouco mais de dois meses, o YouTube funcionava normalmente no Echo Show, versão do Amazon Echo com tela de 7 polegadas. Até que o Google decidiu interromper o funcionamento do aplicativo por violação dos termos de serviço, já que ele não dava acesso a funções importantes da plataforma, como inscrição em canais e recomendações de vídeos.

Desde então, a Amazon parou de vender diversos produtos da Nest, que fabrica termostatos inteligentes e faz parte da Alphabet. E, há duas semanas, o YouTube voltou ao Amazon Echo Show, mas em sua versão web. Era uma experiência de uso lamentável:

THIS IS INSANITY pic.twitter.com/dYbi5w7pdD

— dan seifert of the house verge, first of his name (@dcseifert) November 21, 2017

Agora, o Google decidiu bloquear por completo o acesso ao YouTube no Echo Show, Fire TV e Fire TV Stick. O serviço funciona normalmente até o dia 1º de janeiro de 2018, como mostrou Luis Gustavo no Tecnogrupo:

Em nota ao Engadget, o Google justificou o bloqueio como falta de reciprocidade. “A Amazon não vende produtos do Google como o Chromecast e Google Home, não disponibiliza o Prime Video para usuários do Google Cast e no mês passado parou de vender alguns dos últimos lançamentos da Nest”, justificou a empresa.

Engadget também conversou com uma fonte dentro do Google, que revelou que o principal ponto da disputa é a Amazon ter colocado no Echo Show uma versão limitada (e que viola os termos de serviço) do YouTube, em vez de trabalhar com o Google em um aplicativo oficial e completo.

Em resposta, a Amazon disse ao Engadget que o Google “está criando um precedente decepcionante em bloquear seletivamente o acesso a um site aberto” e afirmou esperar resolver essa questão o quanto antes.

A briga entre Google e Amazon ficou ainda mais grave


You may also like...