Apesar de ser responsável por registro, Anac não deve fiscalizar o uso de drones

Há poucos dias foi noticiado que a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) seria responsável pela fiscalização de drones operados no Brasil. Regras foram publicadas para as "aeronaves remotamente pilotadas", definindo que todos os drones com peso superior a 250g precisam de um registro formal que pode ser obtido através do site oficial da agência e objetos com mais de 25 kg vão necessitar de uma habilitação especial de piloto.

A novidade é que a o órgão não sabe exatamente como esse controle será feito. Especificamente, Walter Alberto Morita, participante do grupo de RPA (Sistemas de Aeronaves Remotamente Pilotadas) da Anac, concedeu uma entrevista alegando que o controle não será feito de forma rígida. Ao site TecMundo ele alegou que essa responsabilidade será "terceirizada" para outros órgãos públicos:

Como é recente (a lei), ainda não existe um plano e nem pessoas alocadas para isso. Existe só uma conscientização geral do que que está sendo cobrado. A maior parte dessa fiscalização, quem vai fazer são os órgãos públicos, não a Anac — apesar de que ela poderia aplicar o regulamento em uma fiscalização. Mas isso não é ostensivo.

Clique aqui para ler mais

You may also like...